Dia Nacional do Metroviário – 26 de outubro

release

Os mais de 350 mil passageiros que circulam pelas estações de metrô de Salvador cruzam diariamente com uma equipe de trabalhadores que, embora poucos vejam, fazem toda a diferença no funcionamento e na qualidade dos serviços oferecidos para a nossa população: eles são os metroviários. Aqueles que fazem os trens andarem, realizam manutenções preventivas e lidam diretamente com os clientes vendendo bilhetes, passando informações e garantindo a segurança de todos que passam pelas estações.

Com um dia nacional dedicado para celebrar esta importante função (26 de outubro – Dia Nacional do Metroviário), a CCR Metrô Bahia conta um pouco da história daqueles que dedicam sua vida a melhorar a mobilidade dos baianos, levando e trazendo passageiros pelos 33km das linhas 1 e 2. Ao todo, 134 profissionais da concessionária se revezam nas cabines de operação dos trens, e outros 1.342 funcionários participam das demais etapas de funcionamento do sistema metroviário de Salvador e Lauro de Freitas.

Apaixonado por trens desde jovem, o operador da CCR Metrô Bahia, José Fernando Galvão Lima, de 60 anos, iniciou sua carreira como maquinista no subúrbio de Salvador, em 1988, e nunca mais deixou de lado a vida nos trilhos. Há cinco anos, com a chegada do metrô em Salvador, Fernando passou a fazer parte da primeira turma de operadores de trem da cidade, e hoje, além e conduzir, auxilia as novas gerações nos treinamentos. “Os trens fazem parte da minha vida. Trabalho com prazer e faço questão de passar aos novos profissionais parte da minha experiência. E enquanto for útil para os passageiros, espero continuar aqui”, diz Fernando, que não hesita ao ser questionado sobre a principal dica para os operadores mais jovens: “É preciso encarar o trabalho com muita seriedade e comprometimento, pois essa é uma profissão para a vida toda”.

E quem pensa que o trabalho de metroviário não combina com vaidade, ainda não teve a oportunidade de cruzar com a operadora de trem, Rachel Priscila Borges. Com 33 anos e mãe de um menino de 14 anos, Rachel se orgulha em fazer parte das muitas representantes femininas que ocupam as cabines do metrô de Salvador. Funcionária da CCR Metrô Bahia há quase três anos, sua função era de atendimento ao público, mas sempre de olho na oportunidade de crescer na empresa e conduzir passageiros em cima dos trilhos. “As mulheres que operam trens demonstram a força feminina. Estudei para participar de um processo seletivo interno, passei e hoje tenho muito orgulho em representar as mulheres em uma profissão forte como essa. Um desafio que venci e hoje realizo com muita dedicação”, afirma a operadora, que divide seu tempo de folga entre os estudos, na faculdade de letras, a maternidade e não deixa de se cuidar.

Nos trilhos, Rachel chama a atenção pela vaidade e pelo sorriso no rosto. “Muitas pessoas me esperam na última estação para conversar e tirar fotos. Principalmente mulheres, que levam mensagens de incentivo dizendo que represento a categoria e que se orgulham de onde cheguei”, finaliza.

Operando em duas linhas, com 33 km de extensão, 20 estações e 7 terminais de integração com ônibus, o sistema metroviário de Salvador e Lauro de Freitas foi o que mais cresceu no país nos últimos anos, gerando cerca de oito mil empregos no auge das obras. Quando concluído, alcançará o posto de terceiro maior metrô do Brasil. Em 2017, todo o sistema metroviário conquistou a certificação de qualidade ISO 9001. O contrato de concessão da CCR Metrô Bahia prevê ainda a expansão da Linha 1 até Águas Claras/Cajazeiras e, da Linha 2, até Lauro de Freitas, totalizando 42 km de extensão, 23 estações e 10 terminais de ônibus integrados.